a
HomeNotíciasCondsef/FenadsefCondsef/Fenadsef cairá em campo, junto com sindicatos, para garantir reajuste de servidores

Condsef/Fenadsef cairá em campo, junto com sindicatos, para garantir reajuste de servidores

Passado o segundo turno das eleições presidenciais, a Condsef/Fenadsef vai cair em campo, junto com os seus sindicatos, para conseguir, no Congresso Nacional, emendas à Lei Orçamentária Anual (LOA) 2019 para garantir reajuste salarial aos servidores públicos. A força tarefa estava marcada para acontecer depois do dia 7 de outubro, mas por conta da polarização política do país e do envolvimento dos parlamentares na campanha dos seus respectivos aliados, a entidade achou mais prudente adiar a atividade.

A LOA 2019, enviada ao Congresso pelo governo Temer, não prevê aumentos para os servidores, embora não haja nenhuma restrição na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO). “Estamos com várias demandas represadas como recomposição salarial, reestruturação de carreiras e aumentos dos benefícios. Será um desafio muito grande, uma guerra com enfretamento para convencimento. Mas iremos à luta”, dispara o secretário geral da Condsef/Fenadsef, Sérgio Ronaldo.

Ele conta que a força tarefa será realizada em seis semanas. “Dividimos a atividade por região para baratear os custos. Faremos um revezamento dos representantes dos trabalhadores por estado. Cada semana receberemos um grupo aqui em Brasília que contará com apoio dos diretores da Condsef/Fenadsef e do Sindsep-DF”, explica Sérgio Ronaldo.

Nos dias 30 e 31 de outubro e 1º de novembro será a semana dos sindicatos da região Sul. De 6 a 8 de novembro, os do Sudeste. De 12 a 14, do Centro Oeste, e do dia 22 ao dia 24, do Norte. Para a região Nordeste, que tem uma representatividade sindical maior, foram destinadas duas semanas. De 27 a 29 de novembro, estarão em Brasília os sindicatos dos estados do Ceará, Maranhã e Piauí. Já de 4 a 6 de dezembro, as entidades sindicais da Bahia Paraíba, Sergipe e Pernambuco, nesse caso com a presença de representantes do Sindsep-PE.

A aprovação dessas emendas vai depender também do novo Congresso, eleito no último dia 7, infelizmente mais conservador e anti-servidor que o atual. Dependem ainda da derrubada da EC-95, que congela os investimentos públicos por 20 anos. “Acho importante que todos os servidores federais lotem as caixas de e-mails dos deputados e senadores pedindo a derrubada dessa emenda”, sugeriu io coordenador geral do Sindsep-PE, José Carlos de Oliveira.

 

Fonte: Condsef/Fenadsef

 

Share With:

andrade@sintrafesc.org.br

Sem comentários

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.