a
HomeNotíciasCondsef/FenadsefMS pede mais prazo a servidores para avaliar situação de laudos de insalubridade

MS pede mais prazo a servidores para avaliar situação de laudos de insalubridade

Setor de Gestão de Pessoas do Ministério da Saúde pediu mais tempo para avaliar situação de laudos de insalubridade. Condsef/Fenadsef protocolou hoje ofícios reforçando necessidade de solução para situação

 

A Condsef/Fenadsef entrou em contato nessa sexta-feira, 25, com o setor de Gestão de Pessoas do Ministério da Saúde (MS) para saber informações sobre situação do pagamento interrompido de gratificações de insalubridade por problemas com renovação de laudos. O MS pediu um prazo maior até a próxima semana, pois está sendo feito um balanço da situação nos estados em busca de uma solução para o problema. Também hoje a Confederação protocolou ofício aos ministros da Saúde e Economia solicitando solução para a supressão indevida de adicionais ocupacionais (insalubridade, periculosidade, radiações ionizantes e substâncias radioativas). A categoria espera uma solução urgente para a situação.

O novo coordenador do setor, Ademir Lapa, esteve com representantes da Condsef/Fenadsef, CNTSS e Fenasps e afirmou que a Mesa de Negociação Permanente do Ministério da Saúde continua. Na ocasião Lapa havia pedido prazo até hoje para dar uma posição sobre a situação dos laudos. Mesmo com uma solução administrativa sendo buscada, a Condsef/Fenadsef alerta as entidades filiadas que sigam buscando também na Justiça o pagamento.  A expectativa é de que uma solução administrativa rápida seja dada ao caso. 

Outros temas como tempo especial e planos de saúde devem ser abordados nas próximas reuniões. Para a Condsef/Fenadsef a continuidade das negociações é positiva e a expectativa é de que os trabalhos sigam na direção da busca de consensos e encontro da solução de problemas administrativos e do atendimento de demandas urgentes da categoria. 

 

Fonte: Condsef/Fenadsef

Share With:

andrade@sintrafesc.org.br

Sem comentários

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.