a
HomeNotíciasO Sintrafesc depende de você!

O Sintrafesc depende de você!

Às vésperas do feriado de Carnaval, no dia 1º de março deste ano, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) editou a Medida Provisória 873, que ataca frontalmente as entidades sindicais. A MP atinge a forma de arrecadação dos sindicatos, no intuito de estrangular as entidades e acabar com o seu sustento.

No setor público, como é o caso do Sintrafesc, a MP revoga a alínea “c” do caput do artigo 240 da Lei 8.112/1990, que dizia que “ao servidor público civil é assegurado (…) c) descontar em folha, sem ônus para a entidade sindical a que for filiado, o valor das mensalidades e contribuições definidas em assembleia geral da categoria.”

A consignação em folha de pagamento não tem custos à União e é o que garante a sustentabilidade dos sindicatos, além de ser um direito dos trabalhadores e trabalhadoras no serviço público.

O Sintrafesc já recebeu Ofício do Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro) notificando a rescisão contratual. Diz o ofício: “Informamos que, a partir de 18 de abril de 2019, o contrato firmado entre essa instituição e o Serpro, referente ao serviço de Consignação será rescindido, observando o Ofício nº 19555/2019 do Ministério da Economia, que aponta para o disposto no Artigo 2”, da Medida Provisória nº 873/2019”. Para o Fonasefe (Fórum das Entidades Nacionais dos Servidores Públicos Federais), a MP 873 é inconstitucional e fere a liberdade de organização sindical dos trabalhadores.

Pela Constituição “a assembleia geral fixará a contribuição que, em se tratando de categoria profissional, será descontada em folha, para custeio do sistema confederativo da representação sindical respectiva, independentemente da contribuição prevista em lei”.

A MP tem força de Lei e vigência de 60 dias podendo ser reeditada.

Várias entidades estão buscando na Justiça medidas contra a MP, a exemplo do Sintrafesc, através de sua assessoria jurídica. A OAB também entrou com pedido de inconstitucionalidade junto ao Supremo. No caso do setor privado, a MP também dificulta a arrecadação dos sindicatos e impõe o uso de boletos ou desconto em conta corrente para o recolhimento da contribuição sindical.

Esse ataque não nos causa surpresa, pois, o presidente Jair Bolsonaro se elegeu prometendo que em seu governo sindicatos não se criariam. O futuro do Sintrafesc é também incerto e depende da vontade da categoria em mantê-lo vivo.

A partir de abril, não podendo mais realizar desconto em folha das mensalidades, o Sintrafesc deverá buscar outra forma de sustentabilidade, que é o débito em conta corrente. Para tanto, já estamos buscando convênio junto aos bancos.

Enfim, um sindicato com 30 anos de lutas, agora está ameaçado de sobreviver diante de mais um ataque do presidente que sequer consegue ter uma postura de estadista e muito menos resolver conflitos, a maioria das vezes criado por ele mesmo e pelos próprios filhos, ministros e demais correligionários.

NENHUM DIREITO A MENOS
Share With:

andrade@sintrafesc.org.br

Sem comentários

Deixe um comentário