a
HomeCovid-19Plano catarinense prevê vacinação para 2,8 milhões de pessoas

Plano catarinense prevê vacinação para 2,8 milhões de pessoas

O cronograma prevê vacinação em quatro etapas, iniciando pelos grupos prioritários: trabalhadores da saúde, idosos acima de 75 anos, pessoas com mais de 60 anos em instituições de longa permanência

 

Plano catarinense prevê imunização de 2,8 milhões de pessoas

O governador Carlos Moisés (PSL) lançou nesta quarta-feira, 16, o Plano Estadual de Vacinação contra a Covid-19 em Santa Catarina. O cronograma prevê vacinação em quatro etapas, iniciando pelos grupos prioritários: trabalhadores da saúde, idosos acima de 75 anos, pessoas com mais de 60 anos que moram em instituições de longa permanência e população indígena. Na segunda fase, o foco serão as pessoas com idade entre 60 e 74 anos.

Na sequência serão imunizados os apresentam comorbidades e professores, profissionais da Segurança Pública, do sistema prisional e de salvamento. Para esses grupos são previstas doses suficiente para imunizar 2,8 milhões de catarinenses.

O governador afirma que o restante da população será vacinada conforme os insumos forem sendo repassados pelo Governo Federal. “Estamos trabalhando em questões como insumos, como as seringas e agulhas, reforçando a nossa rede de frios para garantir o armazenamento, assim como a ampliação da rede elétrica e das salas de vacinação”, afirmou o governador.

:. Acesse aqui os principais pontos do Plano Estadual

Etapas e população atendida

  • 1ª – 426.678
  • 2ª – 844.644
  • 3ª – 1.365.028
  • 4ª – 166.289
    TOTAL 2.802.639

Vacinação dependerá do Plano Federal

O secretário de Estado da Saúde, André Motta Ribeiro, lembra que é atribuição do Governo Federal definir quais vacinas serão utilizadas no enfrentamento à Covid-19. “O que cabe aos Estados é tornar isso operacional. O Governo Federal nos manda as vacinas e a partir daí nós trazemos esse recurso de saúde pública para a população. É isso que estamos fazendo”, diz o secretário.

Ao Estado, caberá armazenamento das vacinas e insumos recebidos do governo federal, logística para distribuição aos municípios, apoio na capacitação dos profissionais vacinadores, complementação do provimento de seringas e agulhas além das fornecidas pelo governo federal

Caso seja necessário, o Estado dispõe de R$ 300 milhões separados em caixa para compra de vacinas. Os valores seriam suficientes para adquirir cinco milhões de doses.

O governo catarinense ainda estuda realizar compra direta da Coronavac, do laboratório Sinovac, e quer firmar um convênio para desenvolvimento da vacina italiana.

Plano Nacional foi lançado em Brasília

O Plano Nacional de Imunização foi lançado nesta quarta-feira em Brasília, em ato com a presença do presidente Jair Bolsonaro. O ministro Eduardo Pazuello salientou que a distribuição das vacinas depende do aval da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Ele lembrou que já há cerca de 300 milhões de doses negociadas e o Governo Federal reservará R$ 20 bilhões para a compra.

“Todos os Estados serão tratados de forma igualitária e todas as vacinas terão prioridade no SUS. Ter um Brasil imunizado é o nosso objetivo”, disse Pazuello.


 

Fonte: Coluna Pelo Estado/SC Portais

Share With:

andrade@sintrafesc.org.br

Sem comentários

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.