a
HomeNotíciasServidores das três esferas se unem em SC para barrar pacote de Bolsonaro

Servidores das três esferas se unem em SC para barrar pacote de Bolsonaro

Calendário de atividades unificadas para enfrentamento contra as PECS que destroem o serviço público

 

Servidores das três esferas do poder público se unificam para combater as três Propostas de Emenda Constitucional simultâneas lançadas pelo governo Bolsonaro-Guedes (PECs 186, 187 e 188/2019) e que atacam de morte o serviço público como um todo, no país. Representantes de pelo menos 13 entidades sindicais e das centrais de trabalhadores CUT e Intersindical estiveram presentes à reunião realizada na tarde do dia 12, no Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Florianópolis (Sintrasem) e decidiram promover um seminário de Formação, às 18h30min do dia 21 de novembro, também no Sintrasem, e aprovar indicativo para a realização de uma Assembleia Unificada no dia 4 de dezembro, às 14 horas, em Florianópolis. Também ficou definida a participação da categoria na Audiência Pública em Defesa da Soberania Nacional, que acontece às 18 horas do dia 18 de novembro, na Alesc.

A PEC 186, chamada de “Emergencial” permite ao governo acionar um “gatilho”, reduzindo jornada de trabalho e salários dos servidores, sempre que as despesas com pessoal atinjam 90% da Receita Corrente Líquida da União, Estados e Municípios. Já a PEC 187, dos “Fundos Públicos”, extingue uma série de percentuais hoje investidos obrigatoriamente pelos governos em saúde, Educação, Assistência Social, Segurança, etc, permitindo a utilização dos recursos de 281 fundos para pagamento da dívida pública ao sistema financeiro. Por fim, a Proposta 188, conhecida como PEC do “Pacto Federativo” ou PEC dos três “Ds” é um complemento das demais, ao ‘desobrigar’ os governos do pagamento de salários ao servidor, ‘desindexar’ os reajustes dos benefícios de aposentadoria do salário Mínimo e ‘desvincular’ os gastos mínimos com Educação (25%) e Saúde (15%). Aliado a todos estes ataques aos servidores e ao serviço público, a Emenda Constitucional 95, em vigor desde o governo Michel Temer, que limita pela inflação os gastos dos governos com políticas públicas pelos próximos 20 anos.

Para a presidente da CUT, Anna Julia Rodrigues, a iniciativa de reunir os servidores das três esferas é importante para dialogarmos com a sociedade e principalmente com os próprios servidores sobre a retirada de direitos diante dessas três PECs do Bolsonaro que mudam não apenas a vida dos servidores, mas também da sociedade. “Os trabalhadores mais pobres serão atingidos pela falta de saúde, educação, de políticas públicas, porque vai reduzir o quadro de funcionários e o atendimento à população”, adverte Ana Júlia. O presidente do Sintrasem, Renê Murano, valoriza o movimento unificado dos servidores “pela disposição de organizar a resistência e o enfrentamento que podem culminar em uma grande paralisação do serviço público em todo o país em defesa da população e dos direitos da classe trabalhadora”.


 

Fonte: Sérgio Homrich, CUT-SC

Share With:

andrade@sintrafesc.org.br

Sem comentários

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.