a
HomeView All Posts

'Não recebemos aumento há três anos. Estamos trabalhando com a ideia de greve e paralisação, mas estamos atuando primeiro com a frente parlamentar', disse o Secretário-geral da Condsef/Fenadsef, Sérgio Ronaldo da Silva   Sindicatos de servidores públicos vão articular junto a deputados para que não seja colocado em pauta o projeto de lei que reduz os salários do funcionalismo federal em até 25%. A proposta que pretende instituir o “Orçamento de guerra”, como batizou o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), tem

Segundo o Ministério da Economia, será suspenso o pagamento de benefícios como horas extras, adicional de insalubridade e adicional por trabalho noturno, além do auxílio-transporte Os servidores públicos federais que adotaram ao trabalho remoto por conta da pandemia do coronavírus vão deixar de receber uma série de auxílios e gratificações nesse período. Segundo o Ministério da Economia, será suspenso o pagamento de benefícios como horas extras, adicional de insalubridade e adicional por trabalho noturno, além do auxílio-transporte, já que esses trabalhadores

Por Luiz Alberto dos Santos * Tramitam atualmente no Congresso Nacional várias propostas para mitigar ou afastar o princípio da irredutibilidade de subsídios e vencimentos dos servidores públicos, e, assim, viabilizar a redução da despesa com pessoal dos entes da Federação. Na Câmara, tramita a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) nº 438/2018, do deputado Pedro Paulo (DEM-RJ) já admitida pela Comissão de Constituição e Justiça, e que permitirá, se aprovada, entre outras medidas drásticas de contenção da despesa pública, como a

O dinheiro poderia ser direcionado para ações de combate ao coronavírus na área da saúde   O governo trabalha na elaboração de uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que prevê a redução em 25% dos salários e da jornada de trabalho dos servidores públicos federais de todos os Poderes, de acordo com a minuta do projeto ao qual O GLOBO teve acesso. O dinheiro poderia ser direcionado para ações de combate ao coronavírus na área da saúde. O presidente da Câmara, Rodrigo

Entidade encaminhou ofício ao presidente da Câmara solicitando medidas para garantir os investimentos necessários no setor público para enfrentamento de pandemia. Maia declarou que só Estado forte será capaz de vencer vírus   A Condsef/Fenadsef encaminhou nessa quinta-feira, 26, ofício ao presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia. A entidade cobra medidas para que a Emenda Constitucional (EC) 95/16, que congela investimentos públicos por 20 anos, seja revogada. Para a Confederação não há como estabelecer um combate amplo dos efeitos

Na nota técnica, o Dieese reforça que as propostas foram formuladas entre os dias 18 e 20 de março em virtude da excepcionalidade da situação. Portanto, podem ser constantemente atualizadas, conforme necessidade   Também em regime de teletrabalho, a equipe técnica do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) publicou, na ultima quarta-feira, dia 25, a nota técnica nº 228. O documento traz propostas de medidas emergenciais a serem adotadas pelo Sistema Financeiro Nacional em razão da crise do

Categoria critica iniciativa e fala em “batalha política” contra a medida. Segundo presidente da Câmara, partidos articulam projeto   Os servidores públicos reagiram perplexos à possibilidade de redução de salários durante a pandemia da Covid-19, doença causada pelo coronavírus. Atualmente, o país tem 12 milhões de empregados públicos, sendo mais de 600 mil no governo federal. A proposta foi anunciada pelo presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), e gerou polêmica. Segundo o político, partidos articulam a proposta a ser apresentada ao Congresso

Sem abrir mão de salários para todos os trabalhadores, do setor público ou da iniciativa privada, servidores federais apontam caminhos mais eficientes para superação da crise econômica e sanitária   Diante do Estado de Calamidade Pública e das medidas de isolamento social que fecharam comércios e instituíram teletrabalho para milhões de pessoas, o Governo Federal tenta ora minimizar a situação, ferindo recomendações de especialistas em saúde, ora reduzir salários dos trabalhadores sob argumento de "preservação do emprego". Nesta semana, a

Contrariando OMS, Bolsonaro quer atividades retomadas. Profissionais da saúde fazem campanha para que pessoas ajudem ficando em casa. Curva do contágio é crescente no País que tem, até agora, 60 mortes e mais de 2.200 casos confirmados   Contrariando todas as recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS), autoridades e profissionais do setor, o presidente Jair Bolsonaro fez ontem um pronunciamento em rede nacional solicitando que as pessoas fora dos grupos de risco para a Covid-19 retomassem suas rotinas de

Quem depende da saúde pública deve prestar atenção quando ouvir falar desse assunto: revogação da Emenda 95 ou do Teto de Gastos. Têm a ver com ele as sete faixas que apareceram quarta-feira passada (18) nas principais passarelas de pedestres de Florianópolis em defesa dos serviços públicos e do Sistema Único de Saúde (SUS), ação realizada pela Coordenação dos Servidores Públicos Federais em Santa Catarina e pelo Movimento de Luta por Moradia de Florianópolis. A Emenda 95 foi aprovada pelos deputados