a
HomeNotíciasCampanha SalarialEbserh tem até dia 15 para apresentar contraproposta a empregados

Ebserh tem até dia 15 para apresentar contraproposta a empregados

Negociação que está sendo mediada pelo TST segue com impasses. Empresa insiste em alterar regras na insalubridade que pode reduzir salários em até 27%, além de negar qualquer reajuste. Categoria não descarta greve para impedir retrocessos em ACT

 

Segue o impasse no processo de negociações do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) 2020/2021 dos empregados da Ebserh. A empresa insiste em impor reajuste zero nas cláusulas econômicas, além de querer mudar a aplicação da regra para o grau de insalubridade dos empregados, o que pode reduzir salários em até 27%. Por unanimidade, a categoria rejeitou a proposta em assembleias feitas em todo o Brasil. Mediada pelo Tribunal Superior do Trabalho (TST), a negociação segue suspensa pelo menos até o próximo dia 15, data que a empresa solicitou de prazo para apresentar uma resposta ou contraproposta aos empregados. 

A categoria espera que a empresa avalie a situação já que considera inaceitável o que a administração da Ebserh está apresentando. “Vamos aguardar a próxima quinta para ver se a empresa muda o posicionamento. Estamos prontos a discutir um processo de mobilização com atos e manifestações”, pontuou Sérgio Ronaldo da Silva, secretário-geral da Condsef/Fenadsef. Junto com Fenafar, FNE, CNTS, Fenam e a Comissão Nacional dos Empregados, a Confederação terá uma reunião no dia 16 onde os próximos passos do processo de negociação serão analisados. “Uma greve não está descartada, mas essa é uma construção. Depende também da empresa e nesse momento está na mão dela uma resposta”, acrescentou Sérgio. 

Mobilização continua

Os empregados da Ebserh acompanham com atenção o processo de negociações do ACT. Em março a categoria realizou um dia nacional de lutas para chamar atenção da empresa e da sociedade. Os empregados que atuam na linha de frente do combate à Covid-19 vem enfrentando seu maior desafio na crise sanitária instalada no Brasil enquanto sofrem com o sentimento de desvalorização por parte da administração da Ebserh. Além de negar qualquer reajuste ainda insistem na retirada de direitos fundamentais assegurados no ACT da categoria. 

Para a Condsef/Fenadsef é preciso buscar reverter essa posição da empresa de querer continuar retirando direitos de quem está na linha de frente no combate diário contra a Covid-19. É inaceitável o que a empresa está apresentando e a mobilização nacional dos empregados é essencial para frear esse processo que impõe retrocessos e vem carregado de injustiça. 

Vacina salva

Em meio a tantas notícias difíceis uma trouxe alento aos profissionais de saúde. Dados do Conselho Federal de Medicina (CFM) indicam queda de 83% nas mortes de médicos em março, na comparação com janeiro. Novos estudos devem ser realizados, mas os números indicam que a vacinação desses profissionais tem gerado resultado.

A Condsef/Fenadsef segue participando das campanhas que exigem a vacinação em massa via SUS para todos os brasileiros. Para a entidade é criminoso o PL 948/2021, aprovado pela Câmara dos Deputados que permite ao setor privado comprar vacinas. Isso vai prejudicar o Plano Nacional de Imunização que é o caminho ideal para salvar vidas e assegurar que a economia seja retomada com segurança. Para que isso aconteça é necessário que o governo adote as políticas públicas necessárias em detrimento de interesses privados e assegure a imunização de toda população. 

A semana começou com a triste marca das mais de 350 mil vidas perdidas para a Covid-19. A semana mais letal da doença mostra que os profissionais de saúde continuam essenciais nesse processo e a valorização desse trabalho é o mínimo que se espera. Por isso, os empregados da Ebserh cobram respeito e junto com os profissionais de saúde de todo o País seguem sem esmorecer e entregando seu melhor na luta para salvar vidas. 


  • Capa: Sintsef-CE

Fonte: Condsef/Fenadsef

Share With:

andrade@sintrafesc.org.br

Sem comentários

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.