a
HomeNotíciasCampanha SalarialFrentes parlamentares apontam “negligência do governo” em negar reposição a servidores

Frentes parlamentares apontam “negligência do governo” em negar reposição a servidores

Em nota divulgada pelo O Globo, Frente Parlamentar Mista em Defesa do Serviço Público e Servir Brasil afirmam que servidores “não tiveram seus direitos mínimos respeitados”. Bolsonaro será primeiro em 20 anos a não aplicar reposição a funcionalismo

 

Sem conseguir cumprir nenhuma de suas propostas para o funcionalismo, o governo Bolsonaro será o primeiro em pelo menos vinte anos a não aplicar nenhum percentual de reposição salarial a servidores em quatro anos de mandato. Por força de barreiras em ano eleitoral, não há espaço para que este ano seja aplicado nem mesmo o reajuste propagado anteriormente no valor do auxílio-alimentação. Com Bolsonaro servidores federais já perderam quase 30% do seu poder de compra. 

Em nota divulgada pelo jornal O Globo, a Frente Parlamentar Mista em Defesa do Serviço Público e a Servir Brasil apontaram “negligência do governo” com servidores federais ativos, aposentados e pensionistas que “não tiveram seus direitos mínimos respeitados”.

Com Bolsonaro, o Estado atingiu a menor marca da história em gasto com pessoal. O ministro da Economia, Paulo Guedes declarou que pretende reduzir ainda mais e se gaba de fazer uma reforma Administrativa ‘invisível’.  

Não por acaso, arrocho salarial, menos concursos e sucateamento do serviço público são marcas desse governo. A Condsef/Fenadsef alerta: a “granada” para o servidor é o próprio governo Bolsonaro. 

Enquanto retira cada vez mais de políticas públicas, Bolsonaro corre para aprovar a ‘PEC dos Auxílios’ que pode liberar o gasto de R$41 bilhões nos últimos seis meses de seu governo. 

Para isso, já foram distribuídos mais de R$16 bi em emendas do “orçamento secreto”. Ações que desfiguram o Orçamento da União e inviabilizam políticas públicas promovendo um verdadeiro desmonte no Estado brasileiro. 

A saída para frear os ataques sucessivos ao setor público é dar uma resposta a esse governo em outubro. O NÃO dado por Bolsonaro aos servidores públicos deve ser respondido na rua, na luta e na urna!


 

Fonte: Condsef/Fenadsef

Share With:

andrade@sintrafesc.org.br

Sem comentários

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.