a
HomeNotíciasMovimentos SociaisMST já doou mais de 7 mil toneladas de alimentos desde o início da pandemia

MST já doou mais de 7 mil toneladas de alimentos desde o início da pandemia

Desde sua gênese, o Movimento tem a solidariedade como princípio e reforçou ações a partir do agravamento das crises no país

 

Com o lema “Cultivando Solidariedade Sem Terra”, desde o início da pandemia o MST constrói uma agenda nacional de ações contra a fome, formada pelo Movimento em conjunto com diversas organizações e entidades que praticam o enfrentamento contra a fome e a insegurança alimentar.

O que impulsionou inclusive, uma Frente Nacional Contra a Fome e a Sede, com um trabalho de base permanente presente nas comunidades de todo o Brasil, com a consolidação das dezenas de Cozinhas Solidárias, Bancos Populares de Alimentos e Hortas Comunitárias.

Também houve a formação de mais de 2 mil Agentes Populares de Saúde que estiveram na linha de frente de todas essas articulações em conjunto com as famílias em situação de vulnerabilidade.

Durante o auge da pandemia, foram doados não só alimentos, mas também cuidados, conscientizando a população mais pobre com orientações sobre como combater o coronavírus e distribuindo ao longo dessas formações mais de 50 mil máscaras de proteção.

Assim, por meio da organização popular, foi possível chegar ao marco de mais de 7 mil toneladas de alimentos doados, 10 mil cestas básicas e ultrapassando 2 milhões de marmitas solidárias.

A fome é uma violência política

Para além da doação de alimentos em si, o comitê gestor dessa frente tem buscado dialogar com sua base social sobre o desmonte das políticas de subsistência e de produção de alimentos promovidas pelo governo Bolsonaro.

Debatendo também sobre os desafios de superar tais crises enquanto força popular, sabendo que a reversão deste triste cenário de miséria que assola o país, só pode ser superado com políticas públicas em combate a fome e em favor a produção de alimentos saudáveis, principalmente da agricultura familiar, que teve incentivos sucateados pelo atual governo federal.

Sabemos que a fome é um projeto do atual governo e que é também um dos sinais mais agudos da violência política vivida hoje no Brasil, onde mais da metade da população não tem alimentos suficientes para abastecer seus lares. Dessa forma, o MST se solidariza com todas as famílias com a fome e que estão lutando cotidianamente para garantir comida na mesa.

E reafirmamos que as famílias Sem Terra se mantêm produzindo alimentos saudáveis e mobilizando ações solidárias emergenciais, contando com o apoio do conjunto da sociedade por meio do trabalho de base e campanhas permanentes na construção de um projeto popular para o país livre da fome e da miséria.


  • Capa: Breno Thome Ortega, Acervo MST
  • Editação: Fernanda Alcântara

Fonte: MST

Share With:

andrade@sintrafesc.org.br

Sem comentários

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.