a
HomeNotíciasServidores públicos federais de SC são contrários à reforma administrativa

Servidores públicos federais de SC são contrários à reforma administrativa

Presidente do Sintrafesc reafirma em entrevista a luta dos servidores contra PEC 32

 

O relator da Reforma Administrativa na comissão especial, Arthur Maia (DEM-BA), após reunião com parlamentares da base governista e a favor da aprovação da PEC 32, apresentou na tarde de ontem uma quarta versão, e posteriormente, já por volta das 21h30min da noite uma quinta versão do texto. Congressistas opositores à aprovação da Reforma Administrativa relatam a alteração do texto sem qualquer consentimento da comissão. Segundo os parlamentares o artigo 37 – A, que promove a privatização e a extinção dos serviços públicos, foi camuflado em outros artigos. Uma atitude imoral e desesperada para aprovar a PEC de qualquer jeito!

Os atos nos estados, as recepções aos parlamentares nos aeroportos, a pressão nas redes sociais e a vigília dos servidores das três esferas em Brasília, têm tido forte impacto nas decisões de muitos deputados que não tinham posição definida em relação ao assunto.

O presidente do Sintrafesc, Dérmio Antônio Filippi, está na capital nacional defendendo os interesses da categoria, e prestou entrevista à Rádio Cidade Em Dia, de Criciúma, expondo as falácias e consequências da aprovação da Reforma Administrativa.

Confira a matéria e a entrevista cedida pelo presidente do Sintrafesc:

A Comissão Especial da Reforma Administrativa adiou para esta quinta-feira (23), às 9 horas, a votação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 32/20

 

A Comissão Especial da Reforma Administrativa adiou para esta quinta-feira (23), às 9 horas, a votação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 32/20. Considerada uma das principais críticas da oposição, os instrumentos de cooperação com empresas privadas foram excluídos do relatório pelo deputado Arthur Maia. Além disso, outras características da reforma são a realização de avaliações de desempenho, a ampliação das possibilidades no que se refere, a cônjuges ou companheiros receberem pensão por morte, caso o profissional faleça em serviço e a redução em 25% da jornada de trabalho e os salários dos servidores, em período de crise fiscal.

Contrário à decisão, o presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Federais de Santa Catarina (Sintrafesc), Dermio Antônio Filippi, citou os principais pontos de divergência da classe frente ao relatório apresentado pelo deputado.

 


  • Capa: Câmara de Deputados

Fonte: Higor Romagna, Rádio Cidade em Dia/SCTODODIA

 

 

Share With:

andrade@sintrafesc.org.br

Sem comentários

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.