a
HomeNotíciasCampanha SalarialTrabalhadores/as do HU de Florianópolis entram em greve a partir de segunda, dia 26

Trabalhadores/as do HU de Florianópolis entram em greve a partir de segunda, dia 26

Trabalhadores do HU deliberam greve por tempo indeterminado e Ebserh é denunciada pelo Conselho Regional de Medicina ao Ministério Público Federal por falta de médicos

 

Os trabalhadores/as da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) em Santa Catarina decidiram aderir ao movimento grevista nacional pelos impasses no Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) da categoria. Já são mais de três anos e meio sem reajuste salarial, com pautas de retirada de direitos e nenhum avanço nos debates com a empresa, que se mostra intransigente.

A paralisação é o último recurso dos trabalhadores/as, que a evitaram até agora, mas frente ao descaso da empresa, presidido por Oswaldo de Jesus Ferreira, julgaram ser a única alternativa para tentar avançar nas negociações e garantir os direitos já conquistados. O TST, que mais uma vez media o processo de negociação, já propôs à empresa 20% de reposição salarial com retroativos apenas de janeiro desse ano, mas a empresa negou insistindo na retirada de direitos.

Os empregados da Ebserh estão cientes das responsabilidades atribuídas às suas funções com um setor tão delicado e fundamental para a população. Uma carta da categoria foi divulgada aos usuários explicando os problemas enfrentados na pandemia com a atual gestão da empresa.

Em matéria divulgado pelo NSC demonstra os problemas das jornadas exaustivas enfrentadas pelos trabalhadores. As fatigantes rotinas não foram exclusividades apenas no difícil momento da pandemia. A matéria declara um alerta feito pelo Conselho Regional de Medicina (CRM-SC) ao Ministério Público Federal (MPF), em que denuncia a falta de profissionais na unidade. O CRM alega que “especialidades como pediatras, obstetras e ginecologistas estão em falta”.

O Conselho de Medicina destaca ainda que “as escalas permanecem incompletas ou são preenchidas de última hora”, e que serviços ambulatoriais e cirurgias obstétricas são suspensas para completar a escala de Urgência e Emergência. O HU foi notificado sobre a necessidade de contratação de pessoal para cumprir adequadamente as escalas, garantindo o atendimento da população e assegurar plenas condições aos trabalhadores.

Share With:

andrade@sintrafesc.org.br

Sem comentários

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.