a
HomeMeio AmbienteUm Maracanã de comida no lixo

Um Maracanã de comida no lixo

Enquanto milhões de pessoas vivem na pobreza extrema, o mundo desperdiça comida numa escala assustadora. Anualmente, 931 milhões de toneladas de alimento vão para o lixo, segundo a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura. É como se treze navios cargueiros cheios de comida fossem desperdiçados todo dia. No Brasil, a quantidade de comida desperdiçada por ano seria suficiente para encher um Maracanã inteiro. O país está entre os dez que mais perdem e desperdiçam alimentos no mundo. A perda está relacionada a problemas na cadeia produtiva – alimentos que são descartados na colheita, no pós-colheita e no processo de distribuição. Já o desperdício acontece na ponta, quando a comida vai da casa dos consumidores e postos de venda para o lixo. O alimento mais desperdiçado pelos brasileiros é o arroz. Ao todo, o país desperdiça 5,3 bilhões de gramas do cereal por dia, quantidade suficiente para alimentar toda a população que passa fome no país, 19 milhões de pessoas. Só na cidade de São Paulo, 33 mil toneladas de frutas, legumes e verduras de feiras livres são descartadas todo ano. Essa comida poderia ter alimentado 18 mil pessoas – mais da metade da população em situação de rua da cidade. Nesta semana, o =igualdades retrata a indesculpável magnitude do desperdício de alimentos. 

Atualmente, A Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura estima um desperdício de 931 milhões de toneladas de alimento por ano no mundo. O modelo de navio Ever Given, o gigante que bloqueou o Canal de Suez no ano passado, tem capacidade para transportar 200 mil toneladas de carga. Isso significa que, em média, treze navios cargueiros cheios de comida são jogados no lixo diariamente.  

Várias razões explicam o descarte de alimentos. Em países mais pobres, o desperdício normalmente está relacionado às más condições de armazenamento ou falta de refrigeração. Mas, no mundo abastado, o problema está na ponta da cadeia produtiva: os consumidores. Nesses países, a principal causa do descarte é a diferença entre produção excessiva e consumo real. Nos Estados Unidos, o fornecimento diário médio de alimentos chega a 3.600 calorias por pessoa. Mas a população norte-americana só ingere de fato 2.100 calorias. Isso significa que 40% da comida norte-americana vai para o lixo todo dia – o suficiente para alimentar toda a população brasileira.   

Na Grã-Bretanha (Inglaterra, Escócia e País de Gales), uma análise detalhada da comida descartada mostrou que partes não comestíveis compõem uma pequena parte do que vai para o lixo. Cerca de 70% dos alimentos jogados fora estão em boas condições e poderiam ter sido ingeridos.

No Brasil, cada pessoa desperdiça em média 41,6 kg de alimento por ano, segundo o último estudo da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), publicado em 2018. Esse descarte é composto basicamente por restos alimentares parcialmente consumidos ou por sobras resultantes da administração inadequada do alimento – ou seja, preparo excessivo e inapropriado, em quantidades não planejadas, com armazenamento inadequado. Isso significa que, em um ano, o Brasil desperdiça 8,9 milhões de toneladas de alimento. Levando em conta as densidades dos alimentos mais desperdiçados, o volume de comida jogada no lixo é de 8,1 milhões de metros cúbicos. Isso é equivalente a pouco mais de um Maracanã cheio de comida. 

Os pesquisadores da Embrapa não encontraram relação entre variáveis sociodemográficas (diferença de renda e idade) e descarte de comida. Isso acontece apenas na categoria hortaliças (vegetais cultivados em hortas, por exemplo, batata, cenoura, tomate, alface, cebola etc). Nesse caso, os mais ricos têm maior tendência a desperdiçar hortaliças, principalmente porque estão nas classes que mais consomem esse tipo de vegetal. O alimento mais desperdiçado pelos brasileiros é o arroz: pelo menos 25 gramas por pessoa. Ao todo, o país desperdiça 5,3 milhões de quilos do cereal por dia. Levando em conta o consumo médio de arroz (131 gramas por pessoa diariamente, segundo o IBGE), a quantidade desperdiçada alimentaria 40 milhões de pessoas. Todo o arroz desperdiçado seria suficiente para alimentar toda a população que passa fome no país, 19 milhões de pessoas.  

Depois do arroz, o alimento mais desperdiçado pelos brasileiros é a carne bovina: 22,8 gramas por pessoa todo dia. Levando em conta o consumo médio de carne (50,2 gramas por pessoa diariamente, segundo o levantamento do IBGE em 2017), a quantidade desperdiçada alimentaria 97 milhões de pessoas – 84% de toda a população que vive em insegurança alimentar, 116 milhões de brasileiros. 

Só na cidade de São Paulo, 33 mil toneladas de frutas, legumes e verduras de feiras livres vão para o lixo todo ano. Um estudo da USP mostrou que, levando em conta o valor nutricional desses alimentos, a comida desperdiçada nas feiras paulistanas poderia ter alimentado 18 mil pessoas – mais da metade da população em situação de rua da capital.


 

Fonte: Camille Lichotti e Renata Buono, Piauí

 

Share With:

andrade@sintrafesc.org.br

Sem comentários

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.